Andreia Yonashiro apresenta duas de suas coreografias em São Paulo

Cena de A Flor Boiando Além da Escuridão (Foto: Inaê Coutinho/Divulgação)

Cena de A Flor Boiando Além da Escuridão (Foto: Inaê Coutinho/Divulgação)

A bailarina e coreógrafa Andreia Yonashiro mostra duas coreografias do seu repertório em apresentações em São Paulo. As performances A Flor Boiando Além da Escuridão e Ginástica Selvagem serão apresentadas juntas, uma seguida da outra, nesta quinta e sexta-feira (dias 3 e 4 de outubro), às 20h30, no Centro da Cultura Judaica, e de 10 a 13 de outubro, na Galeria Olido. A entrada é gratuita.

Bailarinos esquecidos e coreografias revolucionárias inspiram a criação de A Flor Boiando Além da Escuridão, criado e dirigido por Joana Lopes, com interpretação solo de Andreia Yonashiro e composição musical de Zeka Lopez. O espetáculo estreou em 2008 no evento em homenagem ao centenário de Kazuo Ohno (1906-2010), promovido pela Universidade de Bolonha, com curadoria de Eugenia Casini Ropa.

A diretora traz de volta à cena trechos de algumas personagens femininas que habitaram os 100 anos de poesia do mestre do teatro butô, Kasuo Ohno: La Argentina (1932), Mary Wigman (1927) e Kazuo Ohno dançando La Argentina.

Na segunda parte do programa, Andreia apresenta a coreografia Ginástica Selvagem, criada por ela em parceria com os bailarinos Robson Ferraz e Edson Calheiros. O espetáculo traz jogos coreográficos entre dois homens que também partem de princípios da dança moderna, porém, deslocando a sua relação tradicional com a música.

Cena de Ginástica Selvagem (Foto: Edi Fortini/Divulgação)

Cena de Ginástica Selvagem (Foto: Edi Fortini/Divulgação)

Sua trilha sonora é composta por recortes musicais que não estão associados à dança, traçando um questionamento que remonta aos embates que geraram as grandes revoluções recentes na dança cênica, da modernidade à contemporaneidade.

Os espetáculos são fruto do encontro do Cerco Coreográfico, grupo de Andreia Yonashiro, e o Teatro Antropomágico, de Joana Lopes. O intuito é criar um espaço de produção que investiga como a coreografia pode ser entendida nos dias atuais e aliada à tradição da dança moderna, que influenciou os mais importantes bailarinos do Século 20.

 

Serviço:

A Flor Boiando Além da Escuridão e Ginástica Selvagem

Centro da Cultura Judaica
Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, tel. 3065-4333
Dias 3 e 4 de outubro
Quinta e sexta, às 20h30
Grátis

Galeria Olido
Avenida São João, 473, Centro, tel. 3331-8399
Entre 10 e 13 de outubro
Quinta a sábado, às 20h; domingo, às 19h
Grátis.

Veja também!...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>