Francisco Hurtz critica o modelo de masculinidade em exposição

(Francisco Hurtz/Divulgação)

(Francisco Hurtz/Divulgação)

Até o dia 28 de fevereiro, o artista plástico Francisco Hurtz apresenta a exposição Locker/Room, no Epicentro Cultural, no Sumarezinho, em São Paulo. Na mostra, que teve início em dezembro de 2013, o artista paulistano discute os códigos sociais que legitimam a masculinidade e sua restrita linha de conduta, que é ‘aprovada’ pelo olhar da sociedade.

O título eleito evidencia esta crítica. Locker/Room, subversão da palavra inglesa para vestiário e as palavras Locker (armário trancado à chave ou sujeito/coisa que tranca) e Room (um ambiente como espaço físico ou território). Na mostra, é apresentado uma série de desenhos, pinturas e uma gravação em placa de trânsito onde o artista explora um mundo masculino através de grupos de rapazes em vestiários, banhos, brincadeiras e até um momento íntimo de um indivíduo fardado.

“A figura do homem é uma construção social. O modelo de masculinidade é passado há gerações por em pequenos rituais cotidianos que, na maioria das vezes, passam despercebidos”, diz o artista.

expo

(Francisco Hurtz/Divulgação)

Serviço:

Locker/Room, de Francisco Hurtz
Epicentro Cultural
Rua Paulistânia, 66, Sumarezinho (Metrô Vila Madalena)
Até 28 de fevereiro
De terça a sábado, das 14h às 20h
Grátis.

Veja também!...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>