Fause Haten estreia o espetáculo “A Feia Lulu”

Nesta segunda-feira (dia 14), às 21h, no Teatro Faap, estreia A Feia Lulu, espetáculo de Fábio Retti, Fause Haten, Gregory Slivar, Francisco Carlos, Marina Caron e Ondina Clais Castilho. Trata-se de um obra que pesquisa várias linguagens, mas não pretende se enquadrar em nenhuma delas.

É uma peça de teatro, mas surgiu de um ciclo de performances. É encenada em um teatro, mas tem o desejo de ser pendurada em uma parede como um quadro, uma obra. Tem um formato de caixa, para poder ser levado a qualquer lugar.

A obra fica em cartaz até o dia 3 de junho (Foto: Caio Gallucci/Divulgação)

A obra fica em cartaz até o dia 3 de junho (Foto: Caio Gallucci/Divulgação)

O pequeno palco de Yves na casa da família em Orã. Ocupa o espaço sacro de um teatro, mas coloca o público no palco e deixa a plateia vazia. Conta a vida de um estilista, mas qual seria este estilista? Somos todos. Tem no grupo de criadores, estilistas que atuam, iluminadores que dirigem, bailarinas que moldam dramaturgia, músicos que criam cenas e dramaturgos que fazem trilha. Uma obra onde o desafio à transdisciplinaridade é a força motora.

(Foto: Caio Gallucci/Divulgação)

(Foto: Caio Gallucci/Divulgação)

La Vilaine Lulu é uma personagem de quadrinhos, criada por Yves Saint Laurent a partir de 1953 e publicado em 1967. Lulu é um nome que une a primeira sílaba do nome de sua mãe Luciene e de Lúcifer. A palavra “Vilaine” pode ser traduzida como desagradável, feia, má, arteira, malandra, desobediente, levada ou vil. A Feia Lulu é a filha da mãe e do diabo.

Ela é a possibilidade de viver a liberdade inconsequente de uma menina de 4 anos de idade. Ela é a vingança e a redenção. Ela é a dor transformada em obra artística. Ela é a salvação. A Feia Lulu é uma baixinha, atarracada e gorducha, que poderia ser facilmente uma criança vítima de “bulling”. Ela teria tudo para ser uma menina solitária, retraída e infeliz. Mas Lulu tem uma auto estima invejável. Um domínio completo de uso do seu corpo e de sua sedução. Uma sabedoria em jamais se trair, custe o que custar… literalmente.

Se ela fosse analisada como uma adulta poderia ser chamada de maléfica, demoníaca ou sádica. Mas ela é apenas uma criança de quatro anos de idade que age com seus instintos. Se ela quer algo que ela não tem, ela apenas vai ali e pega.

Se ela quer se divertir, ela pode envenenar suas amigas. Se ela tiver uma rival no amor, ela pode, por exemplo, queimá-la viva. Lulu é um desenho animado e ali naquele mundo, a morte e a perversidade tem outros pesos e medidas. Ela desconhece regras e proibições. No mundo da Feia Lulu, tudo é muito simples e fácil.

Serviço:

A Feia Lulu
Teatro Faap
Rua Alagoas, 903, Higienópolis, tel. 3662-7233
Segundas e terças, às 21h
De 14 de abril a 3 de junho
R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)
70 minutos
Classificação: 14 anos.

Veja também!...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>