De norte a sul, a diversidade cultural brasileira fica em cartaz na Caixa Cultural

Foto: Cristina Leme/Divulgação

Foto: Cristina Leme/Divulgação

O que têm em comum a dança fandango caiçara, o modo artesanal de fazer queijo, a festa do Divino Espírito Santo e a cajuína (citada em canção de Caetano Veloso)? As manifestações das culturas, respectivamente, de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Piauí são patrimônios imateriais brasileiros e estarão na exposição Patrimônio Imaterial BrasileiroA Celebração Viva da Cultura dos Povos, que acontece na Caixa Cultural São Paulo de 25 de julho a 20 de setembro.

A exposição, que tem entrada gratuita, foi idealizada pela relações públicas Fernanda Pereira, pelo produtor cultural Luiz Prado e pela pesquisadora e escritora Mirna Brasil Portella. A mostra exibe recortes de 37 patrimônios do Norte ao Sul do país. Eles estão divididos em quatro categorias registradas pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional): Saberes, Lugares, Celebrações e Formas de Expressão.

A exposição é dinâmica e viva, pois a cada temporada novos patrimônios vão sendo catalogados, o que enriquece ainda mais o conteúdo do acervo. Na primeira edição havia 30 patrimônios, hoje já são 37, sendo que outras dezenas estão em processo de registro pela instituição.

Entre os patrimônios nacionais, a idealizadora da mostra, Fernanda Pereira, destaca que cinco são reconhecidos pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. São eles o Samba de Roda no Recôncavo Baiano, a Arte Kusiwa – Pintura Corporal e Arte Gráfica Wajãpi, o Frevo: expressão artística do Carnaval de Recife, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré e a Roda de Capoeira. “Para que o visitante possa circular, foram concebidas espécies de ilhas de conhecimento no espaço cenográfico”, explica Luiz Prado. “Promovemos um percurso que reúne as mais diferentes manifestações culturais reunidas em um único espaço”, explica.

“Os ambientes recriados são muito ricos e coloridos. Os textos de identificação de cada bem material também são simples para que todo o público possa compreender a importância da mostra”, complementa Fernanda. Para ilustrar ainda mais a exposição, peças originais foram emprestadas por museus e outras foram solicitadas diretamente por membros de diversas comunidades.

Em São Paulo, duas formas de expressão de significativo valor cultural foram registradas como Patrimônio Cultural Brasileiro: o Jongo do Sudeste e o Fandango Caiçara. O Jongo, presente nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas e Espírito Santo, é uma forma de expressão afro-brasileira que integra percussão de tambores, dança coletiva e práticas de magia. O Fandango Caiçara é um conjunto de práticas de divertimento, música, dança e expressões poéticas encontrado entre os litorais de São Paulo e Paraná.

Durante 14 anos, o Iphan tem registrado patrimônios imateriais brasileiros, que são práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas enraizados em comunidades nacionais e passados de geração em geração. A exposição chega a São Paulo após temporadas no Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador e Recife que levaram cerca de 700 apreciadores às unidades da Caixa por dia.

Através de elementos audiovisuais e recursos de interatividade, os frequentadores são convidados a não só conhecer, mas também vivenciar os ambientes catalogados como patrimônios imateriais. “O público poderá ver o barro usado para fazer a panela da moqueca, o processo de confecção, o significado desse trabalho e entender o saber envolvido na elaboração desses bens, como as bonecas Karajás, o próprio acarajé, uma festa religiosa ou mesmo a importância de uma cachoeira mítica”, conta o curador Luciano Figueiredo.

Foto: Cristina Leme/Divulgação

Foto: Cristina Leme/Divulgação

No período da exposição serão promovidas visitas guiadas com as escolas, uma oficina de Capoeira Angola com o mestre Messias dos Santos e um seminário sobre patrimônio cultural brasileiro, organizado pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Para participar da oficina de Capoeira e do seminário, os interessados devem enviar email para patrimonioculturalsp@gmail.com informando o nome, endereço e telefone. As vagas são limitadas e as datas serão divulgadas em breve.

 

Serviço:

Exposição Patrimônio Imaterial – A Celebração Viva da Cultura dos Povos
Caixa Cultural São Paulo
Praça da Sé, 11, Centro
De 26 de julho a 20 de setembro de 2015
Grátis.

Veja também!...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>