Texto premiado ganha montagem gratuita na Oficina Oswald de Andrade

Para Nelson Rodrigues, “a pior forma de solidão é a companhia de um paulista”. Com moradores competitivos, o cotidiano em Sampa é acirrado. Sem tempo para nada, muita gente vive solitária no seu mundinho. Os protagonistas de Uma Noite Sem o Aspirador de Pó, de Priscila Gontijo (prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz e Fate – Fundo de Apoio ao Teatro do Rio de Janeiro) não fogem disso.

Áurea, personagem de Suzan Damasceno (atriz de A Obscena Senhora D., de Hilda Hilst), que agora também assina a direção, e Manuel (Donizeti Mazonas, que fez Osmo, também de Hilst) moram sozinhos com seus gatos. Trazendo elementos do teatro do absurdo e do suspense, a comédia dramática estreia no dia 16 de outubro, sexta-feira, 20h30, na Oficina Oswald de Andrade. Com sessões de quinta a sábado, às 20h30, a temporada gratuita segue até 12 de dezembro.

uma noite

O projeto dá continuidade à parceria artística iniciada entre os três, os atores e a autora, no Centro de Pesquisa Teatral – CPT, do Antunes Filho. Ainda que inédito, o texto foi iniciado lá, em 2009, no Núcleo de Dramaturgia.

A quinta peça da autora carioca fala sobre dois interioranos “invisíveis” na metrópole: uma acumuladora carente e um escritor medíocre. Eles são vizinhos num prédio com baixa vedação acústica. Por isso, ela consegue escutá-lo muitas vezes e acaba se apaixonando por ele, estabelecendo uma relação obsessiva e paranoica.

Em clima de realismo fantástico, a história se passa no apartamento da Áurea. Composta por materiais descartáveis, pilhas de eletrodomésticos em desuso, a estrutura de ferro guarda ainda uma bateria. A cenografia de André Cortez é uma instalação que remete às obras do artista contemporâneo suíço Thomas Hirschhorn e ficará aberta à visitação na Oswald de Andrade. O desenho de luz é de Hernandes de Oliveira.

uma

Carente de interlocução e de laços afetivos, Áurea conversa com seu aspirador de pó, o João Augusto, e coleciona numa valise, a Josephine, uma família imaginária criada com retratos 3X4 de desconhecidos. Resistente à tecnologia e inábil socialmente, ela não se fixa em nenhum trabalho, apesar da sua dedicação. A personagem passa o tempo em casa com Tereza, uma tartaruga cega, e Otto, um gato arisco.

Serviço:

Uma Noite Sem o Aspirador de Pó
Oficina Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363, Bom Retiro (Metrô Tiradentes)
De 16 de outubro a 12 de dezembro
De quinta a sábado, às 20h30
70 minutos
Grátis.

Veja também!...

1 Comentário

  1. 6 de outubro de 2015

    […] atores e diretores Suzan Damasceno e Donizeti Mazonas – protagonistas da peça Uma Noite Sem o Aspirador de Pó – vão coordenar a oficina Dramaturgia do Ator entre 10 de novembro e 1º de dezembro, […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>