França faz “maior vaquinha” já registrada para trazer supermostra de dança ao Brasil

Os números impressionam. Ao todo, 16 companhias francesas de dança contemporânea desembarcam deste mês até novembro, para mais de 70 apresentações em 15 cidades. Ainda serão realizados 2 seminários, 2 workshops, 2 residências artísticas e mostra de filmes de dança. São Pauloà notre joie (ou, em livre tradução, para nooooosssa alegria!) – está no roteiro.

Turnê da Companhia de Maguy Marin tem compatilhamento de custos entre São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre  Foto: Philippe Grappe (Divulgação)

Turnê da Companhia de Maguy Marin tem compatilhamento de custos entre São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre Foto: Philippe Grappe (Divulgação)

Para viabilizar a supermostra FranceDanse Brasil 2016, o Institut Français e os Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores da França, criaram uma rede com mais de 30 parceiros que fornecem apoio técnico e fazem entre si um rateio da verba. A (super)programação foi apresentada nesta manhã na capital paulista em evento que reuniu imprensa, representantes do Governo francês no Brasil e alguns representantes das instituições brasileiras participantes.

Segundo João Carlos Couto, a França entra com cerca de 60% do aporte e toda a rede de parceiros com o restante. Isto inclui governos regionais do território francês, festivais e centros culturais brasileiros, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) e nosso Ministério da Cultura. A planilha de custos prevê o deslocamento de mais de 150 pessoas, entre artistas e cenotécnicos, até o país e o trânsito aqui dentro. Cifras não foram divulgadas porque o custo total ainda não foi fechado. “A ideia é estreitar os laços entres os artistas da dança dos dois países”, defendeu o coordenador geral do projeto.

Para Rosana Cunha, gerente de ação cultural do também aliado Sesc SP, as atividades vão se adaptando aos fluxos de produção. “Este projeto traz um modelo de ação”, explica ela ao argumentar que a cooperação técnica trará benefícios quanto à troca de informações sobre como fazer a gestão de um evento deste vulto.

Para se ter uma noção, edições do FranceDanse vêm sendo realizadas desde 2007 no mundo todo. Áustria, Bélgica, Suíça, Canadá, Lituânia, Espanha, Rússia, China, Itália, Finlândia, Suécia, Noruega, Nova Zelândia, Coreia do Sul e Estados Unidos já tiveram suas versões.

A adida cultural francesa Inès da Silva está segura de que a mostra reflete a diversidade da sociedade francesa e reforça bilateralmente o vínculo artístico e cultural. E cita a inserção do trabalho da coreógrafa carioca Lia Rodrigues no circuito francês. “Não é um evento para apenas trazer, mas para trocar experiências. Já estamos trabalhando no que pode ser feito em 2017”, anuncia ela.

Inès também deixa claro que o escopo do projeto não se aproxima dos feitos do Ano do Brasil na França (2005) e do Ano da França no Brasil (2009). “Esses dois foram acordos entre presidentes. O FranceDanse é um intercâmbio cultural entre artistas”, esclarece.

A 16ª edição do evento, a primeira da América Latina, faz uma mescla entre grandes nomes da dança contemporânea na França e nomes menos conhecidos. O critério para a vinda das companhias na programação – que estampa expoentes como Maguy Marin, Jérôme Bel e Christian Rizzo – era que os parceiros brasileiros articulassem entre si pelo menos 2 ou 3 apresentações em 2 ou 3 cidades diferentes.

Em São Paulo, as instituições parceiras são o Sesc SP, Casa do Povo, Teatro Bradesco, Teatro Alfa, Aliança Francesa, Festival Contemporâneo de Dança, Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo e o Teatro Sérgio Cardoso.

Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Londrina, Natal, Paulínia, Petrópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e Salvador receberão atividades deste largo (e dançante) panorama que no Brasil ganha uma dimensão continental.

FranceDanse Brasil 2016*
18 de agosto a 15 de novembro

*Programação sujeita a alteração.
Confirmação de datas, locais e valores de ingressos será feita em atualização aqui ou em novas publicações do Gira SP.

Jérôme Bel
Gala
Sesc SP

François Chaignaud e Cecilia Bengolea
Dub Love
Sesc SP

Emmanuelle Huynh
Cribles
Sesc SP

Compagnie Maguy Marin
7 e 8 de outubro
Sesc SP

Latifa Laâbissi
Écran Somnambule
24 de outubro
Casa do Povo

Thomas Lebrun / Centre Choréographique National de Tours
Lied Ballet
11 de outubro
Teatro Bradesco

Mourad Merzouki / Compagnie Käfig
Pixel
5 a 7 de novembro
Teatro Alfa

Fabrice Ramalingom / Compagnie R.A.M.a
Conférence dansée
15 de outubro

Christian Rizzo / ICI CCN Montpellier / Languedoc Roussillon Midi Pyrénées
Sakinan göze çöp batar
4 a 6 de novembro
Festival Contemporâneo de Dança

David Wampach
Sacre / Batterie
Entre 18 e 21 de outubro
Sesc São Paulo

Seminário O significado do Barroco: Outras direções, Outra Lógica, Outros Gestos
Com Ana Teixeira, Clara Couto, Osny Fonseca e Raquel Aranha
Sesc SP e Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo

Seminário Ida-E-Volta: Dança brasil – França
Com Cassia Navas e Isabelle Launay
Teatro Sérgio Cardoso
18 a 20 de outubro

Workshop Le Corps Architecte
Com Alain Michard / Compagnie Louma
Sesc SP

Veja também!...

3 Comentário

  1. Nivea disse:

    Favor, algum link do evento?
    Procurei mas não encontrei.

    Att,

  2. Bety Costa disse:

    Uma questao recorrente, q sempre me ocorre: essa evoluçao de mentalidade, ou nos valores

    mesmo da sociedade, a que Graças Deus estamos assistindo ha ja algumas decadas, prosperaria em paises sem democracia e geraçao de riquezas?

  3. Rocio Infante disse:

    Só pos so sizer q maravilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>