Espetáculo encenado e dirigido por Matheus Nachtergaele ganha nova temporada na capital

Matheus Narchtergaele subiu ao palco do Teatro Poeirinha ao lado dos músicos Luã Belik (violão) e Henrique Rohrmann (violino) para as primeiras apresentações de Processo de Conscerto do Desejo, em novembro de 2015. Com capacidade para 60 pessoas, a experiência foi a de habitar um “pequeno útero” enquanto revelava aos espectadores quem foi Maria Cecília.

Não se trata de uma personagem ou mesmo de uma peça teatral. “É um recital à moda grega, é um lamento, mas é iluminado”, explica o ator, diretor e filho da poeta, que se matou aos 22 anos. À época, Matheus tinha apenas três meses de vida. Em Processo de Conscerto do Desejo, os versos de Maria Cecília Nachtergaele são entremeados por canções que gostava de ouvir.

Divulgação

Divulgação

O espetáculo entra em cartaz no Teatro Raul Cortez, de 1º a 30 de abril, numa temporada definida pelo artista como “mais piafiana”, considerando o palco italiano e a acústica imponente do espaço. “O tom mais íntimo dá lugar ao trágico, à catarse. Está ali o ator, o filho. Ele recita poesias da mãe suicida neste concerto. Isso é muito forte e muito sincero. Eu tinha receio que essa história só dissesse respeito a mim, entretanto as pessoas acabam se conectando com o sentido do viver”, conta.

Matheus lembra que demorou muitos anos para decidir o que fazer com o caderno de poesias da mãe que recebeu de presente do pai aos 16 anos. “Era uma espécie de vespeiro emocional e esperei até sentir que não era mais tão perigoso, que as picadas haviam se cicatrizado”, diz. Os textos de Maria Cecília ganharam o palco antes mesmo da publicação em livro (em 2016, A Mariposa, de Maria Cecília Nachtergaele, foi lançada pela Polvilho Edições na FLIP). “O teatro é lugar da cerimônia, é o meu lugar. Fiz o meu festejo fúnebre e a minha celebração como num ritual japonês colorido”, diz.

Cada sessão é uma experiência diferente neste trabalho em progresso com caminhos que plateias e amigos ajudam a definir. “Na temporada do Poeirinha recebi aconselhamentos artísticos do Guel Arraes, do Cláudio Assis e do Jura Capela (todos cineastas) em relação a alguns detalhes como timbre da voz, o tom mais doce, o mais forte e até mesmo à dose de loucura”, revela.

Serviço:

Processo de Conscerto do Desejo
Teatro Raul Cortez
R. Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista. Telefone: (11) 3254 1631
Sextas, às 21h30; sábados, 21h; domingos, 18h
R$ 40 (sextas) e R$ 80 (sábados e domingos). Todas as sessões dão direito a meia entrada
De 1 a 30 de abril

Veja também!...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>