A câmera que edita por ti | Esportes

Como tu mesmo terás podido verificar, estão cada vez mais a moda das câmeras esportivas. Nós as vemos, muitas vezes, quando saímos para fazer esporte, quando estamos de férias, ou mesmo quando saímos da festa junto com seu fiel companheiro, o bastão “selfie’). Portanto, não é estranho cruzar-se com pessoas que carregam amarrado à cabeça, como se de um jogo se tratasse. É mais, pode ser que tu sejas um deles.

Se é assim, se terá dado conta de que tudo é muito bonito, até que chega a hora de seleccionar o material gravado para montar um vídeo. Nesse momento, maldices em seu ‘eu’ do passado por ter filmado tantos e tantos grampos, muitos deles totalmente dispensáveis. Total, que para pendurar um vídeo no YouTube em apenas 3 minutos, se tiras tardes e tardes peleándote com o material, com os formatos e com o programa de editar. Vamos lá, o processo acaba sendo mais pesado que o amigo do Facebook que se acribilla de notificações para que joga Candy Crush.

Se você se sente identificado com esta situação, informamos que sua tortura chegou a seu fim. E é que, graças à TomTom Bandit você não terá que se preocupar nunca mais, por nada, já que o seu servidor de conteúdo próprio permite a edição sem a necessidade de download prévia.

Em outras palavras, que esta câmara se encarregará por si só de fazer uma montagem de forma autónoma de acordo com os dados que destaquem seus sensores de movimento, velocidade, pulso (com acessório complementar) e GPS, entre outros. O clipe pode visualizar e exportar diretamente a partir da aplicação de seu Smartphone, mesmo se você não gosta, basta acenar para que se faça outra proposta de vídeo. Deste modo, em apenas alguns minutos você pode compartilhar seus melhores experiências e sem ter a sua casa de banho PC.

Inteligente…e com potente

É evidente, pois, que a TomTom Bandit há uma clara aposta na praticidade. De todos modos, também não foi racionado em prestações, já que a sua qualidade neste terreo também merece um reconhecimento. E é que a empresa holandesa colocou a sua action cam e um sensor de 16 megapixels, com o que é possível gravar em alta definição (HD 1080p) a 30 e 60 frames por segundo, em câmera lenta (720p) a 120 fps e até em 4K a 15 fps. Nós, que estamos diante de uma das melhores câmeras do setor esportivo.

E como se não bastasse, está equipada com uma bateria integrada de 1900 mAh que pode atingir as três horas de autonomia, a qual elimina por completo os fios, já que é carregado diretamente em um porto de ancoragem USB graças à sua interface USB 3.0. Além disso, é importante notar que você tem conectividade wi-fi, Bluetooth Smart, barómetro e acelerômetro e é resistente à água até 50 metros com a lente para mergulho IPX8. Assim, se você estiver disposto a ganhar muitos likes, sem esforço e sem renunciar as melhores prestações, a TomTom Bandit é a sua melhor opção.

Kettlebells: guia de utilização | Fitness


Há quinze anos, fora da Europa do leste, muito poucos tinham ouvido falar de pesos russas. Hoje em dia, estão em quase todos os ginásios de Portugal e “programas com pesos russas” é a sexta combinação de termos relacionados com o exercício mais buscada no Google em todo o planeta. Não é de admirar. Os pesos russas, ou kettlebell, são mais fáceis de usar do que as barras ou halteres. Você não precisa de tanto peso para trabalhar todos os músculos e têm a vantagem de aumentar a mobilidade e a força em geral. Siga estas regras para tirar o máximo partido de cada repetição.


Regra de treinamento nº1

Entenda como funcionam


As kettlebells têm o peso deslocado em relação ao ponto de apoio. Isso amplifica as forças balísticas dos movimentos rápidos e dinâmicos, o que faz com que pareça mais pesada do que é na realidade. Também exige mais esforço por parte de seus músculos estabilizadores, na zona dorsal, e mais coordenação, o que faz com que você possa ganhar volume mais rápido. É uma ferramenta excelente para desenvolver uma maior força de aderência.


Regra de treinamento nº2

Saiba quando utilizá-los


São ideais para exercícios explosivos que trabalham o corpo todo, como balanços e apertos em movimento. Também são bons para o press vertical, porque estiras bem na parte de baixo e bloqueá-las perfeitamente no ponto mais alto. Quanto à extensão de tríceps, bíceps e a outros movimentos que trabalham grupos musculares pequenos, a kettlebell funciona tão bem que um haltere. Mas se você vai carregar muito peso, é melhor usar uma barra.


Regra de formação nº3

Cuide da postura


O desequilíbrio inerente à kettlebell há que manter uma boa técnica é ainda mais importante. Mantenha os pulsos retos. Se duplica as bonecas, aumenta o risco de entorse e não poderá transferir a força tão efetivamente do corpo pesa. Por outro lado, carrega o peso sobre os calcanhares e mantenha os ombros baixos e para trás. Assim aumenta a estabilidade, o que lhe permite gerar mais força e potenciar o seu desempenho em cada exercício.


Há quinze anos, fora da Europa do leste, muito poucos tinham ouvido falar de pesos russas. Hoje em dia, estão em quase todos os ginásios de Portugal e “programas com pesos russas” é a sexta combinação de termos relacionados com o exercício mais buscada no Google em todo o planeta. Não é de admirar. Os pesos russas, ou kettlebell, são mais fáceis de usar do que as barras ou halteres. Você não precisa de tanto peso para trabalhar todos os músculos e têm a vantagem de aumentar a mobilidade e a força em geral. Siga estas regras para tirar o máximo partido de cada repetição.


Regra de treinamento nº1

Entenda como funcionam


As kettlebells têm o peso deslocado em relação ao ponto de apoio. Isso amplifica as forças balísticas dos movimentos rápidos e dinâmicos, o que faz com que pareça mais pesada do que é na realidade. Também exige mais esforço por parte de seus músculos estabilizadores, na zona dorsal, e mais coordenação, o que faz com que você possa ganhar volume mais rápido. É uma ferramenta excelente para desenvolver uma maior força de aderência.


Regra de treinamento nº2

Saiba quando utilizá-los


São ideais para exercícios explosivos que trabalham o corpo todo, como balanços e apertos em movimento. Também são bons para o press vertical, porque estiras bem na parte de baixo e bloqueá-las perfeitamente no ponto mais alto. Quanto à extensão de tríceps, bíceps e a outros movimentos que trabalham grupos musculares pequenos, a kettlebell funciona tão bem que um haltere. Mas se você vai carregar muito peso, é melhor usar uma barra.


Regra de formação nº3

Cuide da postura


O desequilíbrio inerente à kettlebell há que manter uma boa técnica é ainda mais importante. Mantenha os pulsos retos. Se duplica as bonecas, aumenta o risco de entorse e não poderá transferir a força tão efetivamente do corpo pesa. Por outro lado, carrega o peso sobre os calcanhares e mantenha os ombros baixos e para trás. Assim aumenta a estabilidade, o que lhe permite gerar mais força e potenciar o seu desempenho em cada exercício.


A.Asa É o lugar por onde se pegue, para movimentos balísticos, como balanços e apertos em movimento.


B.Chifres Cógela por aqui para fazer agachamentos com cálice e quando o peso estiver do avesso.


C. Banco É o lugar onde se encontra o seu centro gravitacional.


Dois exercícios com pesos russas que todo homem deve dominar:


1. PRESS COM KETTLEBELL E UM ÚNICO BRAÇO


É ideal para este movimento, pois permite começar o levantamento mais baixo e assim proteger ombros. No mais alto tira do braço para trás para melhorar a mobilidade.
Instruções
De pé, sostenla na frente do ombro com a palma da mão para dentro e o cotovelo junto ao corpo e pesa na parte alta do braço. Levántala de golpe, girando o braço de modo que a palma da mão fique virada para a frente. Faça o mesmo número de repetições com ambos os braços.


2. ROLAMENTO DE KETTLEBELL


Este movimento clássico faz ganhar muita potência e esculpe os abdominais. Queimar umas 14 calorias por minuto.
Instruções
Coloque o kettlebell no chão, entre os pés algo mais que a distância entre os ombros e pegue a pesa pelo asa. Passa a pesar entre as pernas e em seguida dê o quadril para a frente, impulsándola até a altura do peito. Volte a passá-la por entre as pernas. Isso é uma repetição. E agora, continua balanceándola sem parar.

Primeiros passos nestes 4 desportos, sem importar a sua idade | Esporte

RUNNING

Observe isto:

Entre os 20 e 25 anos é a idade ideal para as primeiras 5.000 horas.
– A partir dos 30 anos, as anteriores experiências desportivas ajudá-lo na capacidade de desempenho.
Se empezas de zero a 30 ou 40 anos, os resultados serão limitados pela decadência das qualidades físicas, ainda que não se tenha de ser redutora e tudo vai depender de cada caso.

Lembra-te que:

A evolução deve ser progressiva, durante muito tempo.

Andar de BICICLETA

Observe isto:

– O descanso total é parte do treino, mas não contabilice horas. Até os 17 anos, pode-se dizer que as faculdades físicas não estão desenvolvidas e o volume de trabalho está mais limitado.
– De 22 a 30 anos podem completar as 5.000 horas de trabalho.
Não existe um limite de idade em que iniciar-se nas primeiras horas de treinamento. As adaptações cardiovasculares, metabólicas e musculares ocorrem seja aos 20 ou 40 anos.
– As 10.000 horas devem ser agendadas por um especialista.
– Realizadas sem ordem, não nos conduzirão ao domínio da disciplina.

Lembra-te que:

O excesso de volume de horas e o trabalho físico é um inimigo.

NATAÇÃO

Observe isto:

– Os profissionais realizam suas primeiras 10.000 horas quando têm 11-12 anos. Tenha em conta este dado, para avaliar bem suas possibilidades.
O componente genético determina uma maior ou menor aptidão para completar com sucesso as corridas.
– Os nadadores de média e longa distância nadam em torno dos 10.000 ou 12.000 metros diários.
A idade limite para se iniciar na competição é de 9-10 anos. A técnica se deve começar a aprender os 6-7 anos de idade (sempre no caso de a competição de elite).
– Iniciar a natação a partir dos 30 anos é possível e a melhoria técnica se adquire embora a um ritmo menor.

Lembra-te que:

A nível amador é um dos esportes com maior longevidade.Com 65 anos de idade é possível iniciar e treinar de 2/3 horas diárias. Se quiser entrar na competição aos 30 anos, busca seus próprios objectivos.
Para os corredores que querem iniciar no triathlon, o treino recomendado de natação estaria em torno dos 2.000 ou 3.000 metros diários.

Tênis

Observe isto:

– Em Portugal, as 10.000 horas repartirían em torno de 75% na pista e 25% de desenvolvimento físico. Em outros países essa proporção muda, com menos tempo na pista.
Qualquer pessoa pode se iniciar no tênis em torno dos 30 anos. É importante, nesse caso, todo o trabalho físico anterior que tenha feito, mesmo que tenha sido para outra disciplina.
As cargas de treinamento de tênis são progressivase o ideal é começar desde a infância. Uma criança que queira dedicar-se a competição deve treinar 10-15 horas semanais entre os 12-14 anos; a partir daí subir a 20-25 minutos, e quando já estiver formado fisicamente, a partir de 17-18, subir a 25-30 horas.
– O desenvolvimento das raquetes, a nível tecnológico facilita obter os melhores resultados, com menor técnica.
Um tenista profissional treina, atualmente, uma média de 30 horas por semana em épocas de muita carga de preparação(pré-temporada). Durante fases de competição reduz de 20 a 24 (além dos partidos).

Lembra-te que:

Iniciar no tênis, a idade avançada, será muito mais fácil se já tiver sido praticado antes outro esporte. Todas as horas somam, especialmente aquelas que tiveram que ver com o desenvolvimento físico.

Há algo de errado em seus pés… e tu não o sabes | Esportes

Na clínica me recebe o doutor Toni Albite, podólogo. Primeiro explico o meu caso e depois me colocou, com roupa esportiva, calção e descalço, sobre uma esteira para correr. Mas não é uma fita qualquer um: esta analisa o meu tipo de pisada ao mlímitero, desde as zonas onde ejerzo mais pressão até a velocidade ou o ângulo com que meus pés decolam e aterrissam. Uma câmera grava o movimento ao detalhe, incluindo o de meus joelhos. Primeiro caminho rápido e depois corro, não muito rápido, durante um par de minutos. O suficiente para que tudo fique espelho.

Baixo da fita e o doutor Albite me explica, enquanto vemos a minha marcha em um monitor em câmera lenta, o motivo da dor no meu joelho direito. Trata-Se de uma pronação. Não é excessiva, mas sim o suficiente acusada como para me dar problemas ao fim de uns quilómetros de corrida. Devido a que o meu pé direito se inclina para dentro pousar em cada passo, perde o eixo com o joelho. “Você tem uma boa musculatura das pernas”, explica-me. “Isso faz com que, inconscientemente, tente compensar muscularmente o desvio do eixo”.

A solução é usar alguns modelosque, a partir desse momento confeccionarán com os dados extraídos da fita. Não são obtidos a partir de um molde, mas que se realizam de acordo com as características e as necessidades de cada paciente. “No início, não te ponhas a cada dia “, explica-me o doutor Albite. “Crie o hábito delas, pouco a pouco. São personalizadas, são feitas para adaptar-se naturalmente aos seus pés, sem atrofiar nenhum músculo, assim que não vai lhe dar nenhum problema. Depois de alguns meses de uso, vamos ver como você evoluiu”.

Sendo honesto, o primeiro dia é raro levá-los. Mas eu não demorando a fazer-me a elas. O melhor é que posso usá-las tanto com sapatos de se vestir como com sapatilhas ou de rua (as que eu uso normalmente para trabalhar na redação). Também tenho usado para treinar no ginásio, algumas vezes. Meus modelos não são criadas para serem conduzidas com calçado aberto como as sandálias, mas em Ergodinámica também fazem calçado de verão com seu modelo incorporado, avarcas e chinelos são fornecidos.

Ainda faltam algumas semanas para a minha primeira revisão desde que as uso. Espero que o doutor Albite observe as melhorias sobre a fita e logo me diga o que posso animar a correr distâncias mais longas.

Você também quiser um estudo em profundidade do seu tipo de pisada e detectar possíveis problemas? Pois procure o seu centro Ergodinámica mais próximo aqui.