Figura Humana novo trabalho do Programa Tercer Abstracto

Teatro | TUSP Butantã

Figura Humana é o novo trabalho do Programa Tercer Abstracto

O programa existe há mais de dez anos e une artistas do Chile e Brasil. Neste trabalho, a partir do manifesto “Homem e Figura Artística” (1925), de Oskar Schlemmer, o projeto coloca o corpo humano como mobilizador da arquitetura cênica e transita entre a linguagem do teatro, da dança e da matemática.

Cena de Figura Humana A temporada acontece entre os dias 25 e 28 de maio e 08 e 18 de junho, no TUSP Butantã. As apresentações são gratuitas. Foto: Brendo Trolesi

“A história do teatro é a história da transformação da figura humana”. Oskar Schlemmer

Figura Humana, novo trabalho do Programa Tercer Abstracto, retoma o manifesto Homem e Figura Artística (1925), do pintor e professor do ateliê de teatro da Escola da Bauhaus Oskar Schlemmer (1888-1943), e mergulha nas regras de composição cênica do gesto, do espaço e do tempo para questionar como a figura humana se relaciona com esses elementos e constrói realidades por meio do trabalho gestual e compositivo. A peça estreia dia 25 de maio, no TUSP Butantã, de quinta a domingo, com entrada gratuita.

O projeto tem à frente o diretor chileno David Atencio e o ator e dramaturgista brasileiro Mateus Fávero e a pesquisa usa a descrição do plano cênico para criar uma peça que trata da feitura do teatro, como um passo a passo da construção da cena, com uma proposta que transita entre a linguagem do teatro, da dança e da matemática. “Em cena, o conjunto de corpos escreve sobre o espaço, as linhas de tensões do interior e exterior e também como lidamos com o tempo: demonstramos a repetição, a dilatação do tempo, a pausa, que influenciam na percepção do espectador”, coloca Atencio.

“O corpo humano, a figura humana, para o teatro, é um lugar de múltiplas

dimensões.

Flexível.

Sensível.

Uma matéria complexa de variáveis.

Uma máquina produtora de sentido.”  (trecho de Figura Humana)

Figura Humana convida o público a enxergar o teatro como se fosse um laboratório, a partir de vários questionamentos que percorreram a construção da peça: Como se forma e se deforma algo? Como se informa e se transforma algo? Quais as relações que a figura humana estabelece consigo mesma e com outras figuras humanas? Qual sua gramática? O que acontece quando a figura humana se relaciona com o espaço, com o tempo e com o seu contexto? “Lidando com a gramática e com a composição do próprio teatro, o espetáculo apresenta a figura humana como mobilizadora não só do espaço cênico, mas também da arquitetura social”, diz Atencio.

Nesse sentido, o espetáculo evoca dois movimentos sociais que se relacionam com as lutas das figuras humanas como mobilizadoras da arquitetura social: as manifestações do Chile em 2019 e o carnaval. Para David Atencio, os dois eventos mostram a capacidade dos corpos de se manifestar. “A trilha sonora também é um grande som que vai reconstruindo a música ‘Eu quero é botar meu bloco na rua’, de 1973, do compositor capixaba Sérgio Sampaio.

“O palco é um modelo pequeno, uma maquete pequena do mundo, que podemos usar para observar relações e interações entre elementos.

Entre o corpo e o espaço.

Entre o espaço e os objetos.

Entre o corpo e o tempo.” (Trecho de Figura Humana)

SOBRE O PROGRAMA TERCER ABSTRACTO

Mais do que uma companhia de teatro, Tercer Abstracto é um programa de pesquisa e criação, liderada pelo diretor chileno David Atencio e pelo ator brasileiro Mateus Fávero. Surgiu em 2012 com o objetivo de investigar e experimentar a partir das abstrações das artes visuais as diversas estratégias cênicas para a elaboração de suas peças.

Este é o décimo espetáculo de Tercer Abstracto e consolida a pesquisa de doutorado de David Atencio no programa de Artes Cênicas da USP, sob orientação de Luiz Fernando Ramos. A tese “Teatro Diagramático: o pensamento abstrato na prática do artista-cientista” aponta para a conformação de um teatro do pensamento abstrato destinado a vincular arte e ciência no exercício de pesquisa sobre a realidade.

O programa apresenta duas linhas de pesquisa: Projeto Manifestos, criada inteiramente no Brasil, e a Série Abstracto, projeto de nove peças teatrais a partir do estudo de artistas fundamentais da arte abstrata. Com seus trabalhos, Tercer Abstracto já se apresentou no Festival Internacional Santiago A Mil; no Ciclo Teatro Hoy no Chile; no Festival de Guanajuato (México) e na Residência Artística no Watermill Center (Estados Unidos).

Ficha Técnica

FIGURA HUMANA

Diagramação Cênica e Diagramaturgia: David Atencio

Assistência de Direção: Heloísa Sousa

Dramaturgismo: Mateus Fávero

Elenco: Camila Soufer, Daniel Pires, Edu Rosa, Felipe Rocha, Isabel Monteiro, Marina Meyer, Marô Zamaro, Mateus Fávero

Composição Musical: Emilie Becker

Projeto Sonoplastia: Pablo Serey

Figurino: John Álvarez

Composição da Cor: Heloísa Sousa

Assessoria Iluminação: Felipe Oliveira

Design Gráfica: Brendo Trolesi

Produção: Corpo Rasteado

FIGURA HUMANA

Temporada: de 25 a 28 de maio e de 8 a 18 de junho, quinta a sábado, às 20h e domingo, às 19h.

Teatro da Universidade de São Paulo (TUSP – Butantã – Rua do Anfiteatro 109)

Duração: 70 min. | Classificação: Livre

Entrada Gratuita | Ingressos distribuídos 1 hora antes do espetáculo ou reservados via sympla pelo link: https://www.sympla.com.br/figura-humana__1993884

Atividades de Mediação (após apresentação)

Sábado 27/05 – “Encontro com espectadores” com Maria Lúcia Pupo

Créditos: Canal aberto

Deixe um comentário