Seminários CCSP 40: da criação ao tombamento

04/08

  • Quinta-feira, a partir das 9h30
  • Na Sala Jardel Filho
  • Classificação Indicativa: livre
  • Grátis
  • Inscrições pelo formulário 
  • É recomendado o uso de máscara

Em comemoração aos 40 anos do CCSP, e compondo a programação da exposição “CCSP 40: da criação ao tombamento”, o Centro Cultural recebe os “Seminários CCSP 40: da criação ao tombamento”. Durante todo o dia acontecerão cinco mesas temáticas que abordarão diferentes questões e aspectos da instituição, bem como sobre os atores que contribuíram para sua constituição. Confira a programação completa abaixo:

9h30

CREDENCIAMENTO: assinatura de lista de presença e entrega de kit/brinde

10h

EXIBIÇÃO DO VÍDEO: CCSP40: Memórias e Horizontes – Arquitetura

10h10

ABERTURA: evento solene de apresentação do seminário e exposição

10h30

MESA 1 – Luiz Telles e Eurico Prado Lopes:  “A construção é o que sobra de uma ideia” 

O primeiro painel visa homenagear o arquiteto Luiz Telles, que junto com Eurico Prado Lopes, criou o projeto do Centro Cultural São Paulo há mais de 40 anos. A proposta é que se possa discutir o projeto e a dissertação de Telles e contar histórias e curiosidades sobre o processo de criação do CCSP. Hoje, Luiz Telles e Eurico Lopes são consagrados pelo conjunto ferro, concreto e vidro, base da concepção de transparências visuais.

Mediador 

FRANCIS MANZONI é pós-graduado em edição de livros, mestre em história pela Unesp e doutor na mesma área pela PUC-SP, com passagem pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, na França. Atuou como assessor da área de literatura e bibliotecas do Sesc São Paulo e, atualmente, é editor nas Edições Sesc. É autor dos livros ‘Mercados e feiras livres em São Paulo: 1867 – 1933’ (Sesc, 2019) e ‘A criação do Centro Cultural São Paulo: 1975 – 1985)’ (Editora Alameda/breve lançamento).

Palestrante

CARLOS AUGUSTO CALIL (1951) é, desde 1987, prof. do Dep. de Cinema, Tv. e Rádio da ECA/USP. Diretor e presidente da Embrafilme (79-86), diretor da Cinemateca Brasileira (87-92), diretor do CCSP (01-04), e Secretário Municipal de Cultura de São Paulo (05-12). Em 2016 foi curador da exposição “Morada do Coração Perdido”, montada na casa em que viveu Mário de Andrade. É editor / organizador de mais de 30 publicações sobre cinema, iconografia, teatro, história e literatura, dedicados a autores como Mário de Andrade.

Palestrante

MARCOS CARTUM é arquiteto e designer (FAU/USP – 1985) com especialização em Museologia. É autor/co-autor de vários projetos de espaços públicos e culturais na cidade de São Paulo, entre eles a Praça das Artes. Foi professor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (São Carlos). Desde 2019 é diretor do do Museu da Cidade de São Paulo.

11h45

ALMOÇO

13h15

MESA 2 – CCSP: a vocação do espaço

O painel propõe reflexões sobre o uso do espaço estrutural e social, partindo das ideias e propostas de Mário de Andrade e Mário Chamie para o CCSP. respectivamente o primeiro Secretário de Cultura e o Secretário da cidade, que definiram novos rumos à grandiosa criação de Eurico Prado Lopes e Luiz Telles, no que é hoje considerado um “projeto arquitetônico inacabado”, devido a questões políticas da época, porém “à frente do seu tempo”. Propõe ainda reflexão sobre os desafios de se lidar com uma multiplicidade de funções em movimento.

Mediador

EDUARDO PEREIRA GURIAN, arquiteto e urbanista, formado pela FAAP em 2002. Mestre pela UPC/Barcelona em 2007 e Mestre pela FAUUSP em 2014. Realizou trabalhos com Eduardo Colonelli, Paulo Mendes da Rocha, Marcos Acayaba, Coll-Leclerc Arquitectos SLP, Metrópole Arquitetos e Marcio Kogan. Colabora com o escritório SIAA Arquitetos desde 2010, tornando-se sócio em 2013. Atualmente é docente da Escola da Cidade, da FAAP e da FAU – Mackenzie.

Palestrante

CESAR SHUNDI IWAMIZU, arquiteto formado pela FAUUSP em 1999, títulos de Mestre e Doutor obtidos pela mesma instituição em 2008 e 2015, professor de projeto de arquitetura na FAU Mackenzie (desde 2018) e na Escola da Cidade (desde 2005) e sócio fundador do SIAA Arquitetos, escritório premiado nos concursos públicos para os projetos das unidades SESC Franca e Ribeirão Preto, Estação de Mairinque e Museu Água, entre outros.

Palestrante

FABIO MALAVOGLIA, Poeta, tradutor, gestor de cultura, roteirista, radialista, jornalista, palestrante. Coordenador de programação do SESC Pompéia na implantação (1982-84). Curador condutor do Projeto Andantes (MAC USP 2018). Prêmio APCA 2019 Melhor Apresentador de Rádio (revista diária de arte RádioMetrópolis Cultura FM). Prêmio MinC – Palmares de Comunicação 2005 (roteiro radiofônico A Lenda de Luiza Mahin). Autor: A História sob a terra (arqueologia da Baixada Santista, 2014)

14h30

MESA 3 – Mário de Andrade: do anteprojeto de preservação à Missão de Pesquisas

Propõe revisitar as propostas de preservação material e imaterial de Mário de Andrade como forma de gerar reflexão e novas perspectivas sobre o cenário da memória e preservação no país.

Mediador 

MATEUS SARTORI, Músico, arquiteto urbanista, turismólogo, gestor cultural e empresário. Cursou Gestão Cultural (SESC), pós-graduado em Gerente de Cidades (FAAP) e Cultura: Plano e Ação (USP), Foi representante regional na comissão de elaboração do Plano Estadual de Cultura de São Paulo e Fundador e vice-presidente do Conselho Gestor da Associação de Dirigentes Municipais de Cultura. Secretário de Cultura e Turismo de Mogi das Cruzes-SP entre 2013 a 2020, e atualmente de Guararema-SP.

Palestrante

FLÁVIA CAMARGO TONI, Mestre (1985) e Doutora (1989) em Artes, é Livre-Docente (2004) e Professora Titular (2009) da Universidade de São Paulo. Pesquisadora no Instituto de Estudos Brasileiros. Pesquisadora do CCSP, processou e descreveu o acervo Missão de Pesquisas Folclóricas (década de 1990), pelo restauro e preservação da Coleção. Na Musicologia tem trabalhado com ênfase nos assuntos da primeira metade do século XX atuando principalmente na literatura musical de Mário de Andrade.

Palestrante

VERA CARDIM, Doutora em Ciências Sociais e especialista em Museologia. Atuou como Socióloga na Prefeitura de São Paulo por 27 anos, sendo parte deles na Secretaria de Cultura: no Núcleo de Cidadania Cultural, no Museu das Culturas Brasileiras – DPH e no Centro Cultural São Paulo. Dentre outros projetos, coordenou a edição do DVD-Cadernetas de Campo da Missão de Pesquisas Folclóricas. Atualmente é Professora Substituta de Sociologia na Universidade Federal da Bahia – UFBA.

15h45

CAFÉ

16h30

MESA 4 – Repensando o CCSP

Propõe refletir sobre as múltiplas possibilidades que um olhar vivo e constantemente novo pode trazer para o cotidiano dos frequentadores e do CCSP como um espaço livre e propositivo. Além dos palestrantes previstos, a proposta inclui a participação de estudantes de arquitetura através de  apresentação em tela trabalhos a serem selecionados que refletiram sobre novas perspectivas para o espaço e construíram projetos interessantes.

Mediador 

RAMON SOARES é Supervisor da Ação Cultural do Centro Cultural São Paulo. Jovem de ascendência indígena e vodunsi do culto do Tambor de Mina, estudou dança, design e pedagogia. Nasceu e cresceu na Brasilândia (zona norte da capital). Na educação atuou como Assessor Pedagógico, Assistente de Coordenação Escolar e Educador. Na cultura, atuou como Jovem Monitor Cultural, Assistente de Curadoria e Supervisor de Curadorias até ser convidado para assumir o atual cargo em janeiro de 2021.

Palestrante

COLECTIVO BANGA 

BANGA refere-se a um colectivo de cinco arquitetos angolanos que visam promover a cultura e arquitetura angolana. São integrantes do grupo: Kátia Mendes, Yolana Lemos, Gilson Mendes, Elsimar Freitas e Mamona Duca. O colectivo procura com projetos autorais refletir sobre o estado da arquitetura em Angola, e repensar a concepção e morfologia das comunidades, interpretando os sinais da vida cotidiana.

Palestrante

COLETIVO ARQUITETURA ECOLÓGICA

KARINA DUN DER KOCH Arquiteta e Urbanista, Especialista em Design para a Sustentabilidade pelo Mackenzie. Com 20 anos de experiência na Arquitetura e Construção civil em obras públicas e privadas. Autora de publicações e de projetos com foco em Sustentabilidade, participante de mostras de decoração, palestrante em eventos com Tema Sustentabilidade na Construção e na Moda, Diretora da Plataforma Arquitetura Ecológica.

Palestrante

COLETIVO ARQUITETURA ECOLÓGICA

LILIANA RUBIO Engenheira química, Mestre em gerência de projetos, MBA em gerência de negócios, MBA em gerência e execução de projetos de inovação, especialista em polímeros. Com 23 anos de experiência em gestão de novos negócios e produtos na indústria. Conferencista internacional sobre sustentabilidade e inovação em eventos na América Latina e Estados Unidos. Diretora na P.M.O Polymer Business Intelligence.

Palestrante

COLETIVO COMUNS

MARINA FRÚGOLI é curadora formada em arquitetura e urbanismo pela FAU USP, com formação complementar na Amsterdam Academy of Architecture. Realiza pesquisas e exposições que transitam no diálogo entre arquitetura, arte, corpo e cidade. É co-fundadora do Comuns. Já colaborou com instituições como Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Sesc-SP, Intermuseus, Projeto Marieta e Pinacoteca de São Bernardo do Campo.

Palestrante

COLETIVO COMUNS

MARCELLA ARRUDA é artista transdisciplinar, arquiteta e urbanista pela Escola da Cidade (2017), tem diploma em Interactive Media Design na The Royal Academy of Arts de Den Haag (NL). Trabalha na intersecção de arte, arquitetura, ecologia, política e pedagogia para abrir possibilidades de outros modos de habitar. É diretora de projetos do Instituto A Cidade Precisa de Você e co-fundadora do Comuns.

18h

MESA 5 – Tombamento: entre a estética e a memória

Este painel abordará perspectivas sobre o processo de tombamento, apresentando ainda o processo técnico para o tombamento do CCSP, na esfera municipal. Pretende ainda abordar os mecanismos de manutenção de bens tombados e como a ideia de proteção se incorpora na definição de espaços a serem tombados, que historicamente transitam entre a importância da estética e memória de um patrimônio, em um trabalho conjunto entre a arquitetura e a antropologia.

Mediadora 

RAQUEL SCHENKMAN, arquiteta e urbanista e mestre pela FAUUSP, atualmente é conselheira suplente do CAUSP e atua há mais de dez anos junto ao Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo, onde foi diretora entre 2019 e 2020, tendo presidido o Conpresp. Foi responsável pela instrução de tombamento do bairro da Liberdade, que resultou no tombamento do CCSP.

Palestrante

NIVALDO ANDRADE JÚNIOR, arquiteto e urbanista, mestre e doutor em arquitetura e urbanismo pela UFBA, instituição da qual é Professor Associado. Pesquisador do CNPq e membro do Conselho Consultivo do IPHAN e do Conselho Deliberativo do ICOMOS Brasil. Foi Presidente Nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e pesquisador visitante junto à Escola de Urbanismo de Paris. Autor da coleção “Arquitetura moderna na Bahia (1947-1951)”, em cinco volumes, recebeu o Prêmio ANPARQ 2020.

Palestrante

WALTER PIRES, graduação em Arquitetura e Urbanismo (1979) e Mestrado (2003) na FAU-USP. Integra o DPH (Depto. do Patrimônio Histórico) desde 1991. Foi seu diretor e vice-presidente do Conpresp, entre 2005 e 2013. Foi assessor da direção da Divisão de Pesquisas do Centro Cultural São Paulo (1995 a 1996). No Condephaat atuou como arquiteto do Serviço Técnico (1982 a 1991) e conselheiro (2016 a 2017). No IPHAN/SP participou da comissão do Prêmio Rodrigo M. F. Andrade (2015 a 2021).

19h30

ENCERRAMENTO

Fonte: Centro Cultural

Créditos de todas as imagens: Centro Cultural

Deixe um comentário